Lições Bíblicas 2º Trimestre de 2017 - CPAD

Jacó, Um exemplo de Caráter Restaurado – Lição 5 – abril 2017

 

O nome “Jacó” significa suplantador, não enganador. Ao longo da minha vida eclesiástica já ouvi muito dizer que Jacó foi um enganador. Na minha pouca visão não consigo vislumbrar a  questão dessa forma. No caso da bênção da primogenitura não vejo Jacó enganando Esaú, eles haviam negociado a primogenitura, Esaú vendeu esse direito a Jacó, por um prato de lentilha, menosprezando a bênção. Jacó fez o que sua mãe o orientou a fazer; o único enganado foi o velho Isaque. Talvez, o que não conseguimos entender, é que o Senhor Deus cumpre o seu plano usando meios naturais, e a própria história do homem. Quando o Senhor opera, contrariando os meios naturais, há o que chamamos de milagre, maravilha, coisa sobrenatural, isto é, contraria a natureza. Se Jacó mentiu, o fez por orientação de sua mãe. Esquecemo-nos que estamos há alguns milhares de anos distantes dos fatos acima descritos e com culturas totalmente adversas, e queremos entender como se fosse para nós, hoje. Jacó, na sua fuga para Harã foi bem sucedido, porque o Senhor estava com ele, o que nos mostra pela questão da visão da escada e pelo sucesso que obteve na casa de Labão, seu tio e sogro. No seu retorno, lutou com Deus. Não foi briga, foi luta para ser abençoado, queria uma bênção de Deus ao encontrar-se com Esaú, do qual havia fugido para não morrer, pois não sabia como o irmão iria recebê-lo, se ainda estava com propósito de o matar. De Jacó nasceram doze filhos que deram origem às doze tribos de Israel, de uma das quais, nasceu Jesus.